Eleições 2020: novo cenário politico em Palmeirândia e a reconfiguração da oposição
Compartilhe

O cenário político de Palmeirândia ganha nova forma após anuncio da desistência do pré-candidato a prefeito, Wellington Muniz, ficando assim uma disputa de 1×1, de um lado o grupo Garcia, que administra o município a anos, do outro lado, a jovem liderança Edilson da Alvorada, este recém chegado a vida pública com a promessa de renovação da política palmeirandense.

O surgimento de Edilson da Alvorada como principal nome da oposição, pode ter sido o real motivo da desistência de Wellington Muniz como pré-candidato. Isso traz à tona a carência do município em construir lideranças e mantê-las engajadas em seus projetos de “mudança”, hoje Palmeirândia sofre com a falta de lideranças jovens de origem popular.

O sistema político é comprometido pelas velhas raposas, que uma vez ficha suja, utilizam-se de artifícios para perpetuar-se no poder: uns usam filhos (as), outros às esposas, parentes e até amigos manipuláveis. Por fim, quase sempre temos os mesmos nomes no legislativo e executivo municipal.

A falta de planejamento, organização, união e compromisso por parte dos antigos nomes de oposição ao grupo Garcia, foi fator decisivo para que o nome Edilson da Alvorada chegasse tão rápido ao Trend Top da política palmeirandense. A nova liderança política traz como bandeira aos opositores da atual gestão, a paz e à harmonia, que segundo ele, sempre esteve buscando a união dos grupos de oposição.

Com um novo cenário montado, onde existem oficialmente apenas dois pré-candidatos a prefeito “Nilsinho e Edilson”, o jogo tende a melhorar para a oposição, uma vez que a atual gestão Garcia está realizando a pior e mais extravagante gestão de todas, onde o prefeito já torrou mais de R$ 97 milhões em contratos em apenas 3 anos e 8 meses de gestão, onde muitos desses contratos são suspeitos, e para quem conhece o município, não ver onde todo esse dinheiro foi parar, como e onde foi investido.

Wellington Muniz desistiu, porém não declarou apoio à oposição, pelo contrário, deixou subtendido que o principal nome da oposição, Edilson da Alvorada, é um Oportunista Desconhecido para ele.

As eleições deste ano podem torna-se o propulsor para surgimento de novos nomes e lideranças, além de novas formas de fazer política onde teremos maior participação popular através das redes sociais.

A oposição está passando por um processo de reconfiguração, convenhamos que muitos nomes do grupo que recentemente ficou órfão não vão aderir ao grupo chefiado por Edilson da Alvora, alguns se dizem desconhecer quais suas verdadeiras intenções com o município, outros não gostam da forma as coisas estão acontecendo.

A preocupação é que muitos não terão os mesmos privilegios, pois chegam quando as alianças já foram seladas, os projetos debatidos e muita coisa já está pré definida, assim o espaço em um eventual governo de oposição tornou-se duvidoso.