Palmeirândia: Mãe de aluno sofre perseguição de diretora do município por cobrar distribuição de merenda escolar
Compartilhe

Nesta terça-feira recebemos novamente denúncia contra a gestão do prefeito Jorge Garcia de Palmeirândia, por conta da distribuição dos itens da merenda escolar das escolas do município.

Elisângela, mãe de aluno revoltada entrou em contato para relatar sua revolta com a situação e o descaso que vem acompanhando por parte de prefeito, da secretária de educação e por último, ataques de uma diretora de escola que seu filho estuda, tudo porque a mãe fez uma reclamação em um grupo de WhatsApp, revoltada por conta da não distribuição dos itens da merenda escolar aos alunos, e após essa reclamação a diretora lhe fez graves ofensas em conversa particular.

Áudio que causou as perseguições

Mãe revoltada após receber perseguições da diretora:

Segundo a mãe Elisângela as perseguições partiram da diretora de nome Janice Torres, que sofreu diversos ataques em conversa privada iniciada pela diretora e que foi retrucada na mesma proporção que recebia as mensagens, Elisângela, a mãe, ainda relatou que a diretora Janice após realizar os ataques escrevia e apagava as mensagens, todas contendo um linguajar chula e grotesco que ela se constrangeu em sita-los.

Elisângela se diz impotente diante da situação por está tentando haver um direito que é do povo e está sendo desrespeitado por quem deveria cuidar e zelar pelo bem-estar de todos, e não ver autoridade alguma toma providências para solucionar os problemas existente na sua cidade.

De março a abril o município já recebeu só do Programa Nacional de Alimentação Escolar R$ 238.413,60. Palmeirândia conta hoje com 4.033 alunos matriculados na rede municipal de ensino.

Outros valores recebidos pela educação:

Já havíamos denunciado esse crime do prefeito a quase 1 mês, no dia 19 de abril na matéria, Olha a PF: Deputado federal faz denuncia que atinge Jorge Garcia “Tem que ir para o inferno”, onde foi discorrido a alteração da lei de criação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) pela lei ordinária 13987/2020, que garante a distribuição dos itens da merenda escolar aos alunos da rede pública de ensino do pais. Confira o que diz a lei 13987/20:

“Art. 21-A. Durante o período de suspensão das aulas nas escolas públicas de educação básica em razão de situação de emergência ou calamidade pública, fica autorizada, em todo o território nacional, em caráter excepcional, a distribuição imediata aos pais ou responsáveis dos estudantes nelas matriculados, com acompanhamento pelo CAE, dos gêneros alimentícios adquiridos com recursos financeiros recebidos, nos termos desta Lei, à conta do Pnae.”

Deixe seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Open chat