TJMA homenageia Cleonice Freire na abertura do ano judiciário
Compartilhe

O Poder Judiciário do Maranhão abriu oficialmente o ano judiciário de 2021 em sessão solene virtual realizada nesta quarta-feira (27), com a participação de autoridades dos três Poderes, Ministério Público, Defensoria Pública e outros órgãos constituídos. A sessão foi aberta pelo presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Lourival de Jesus Serejo, e dedicada à memória da desembargadora Cleonice Silva Freire, falecida no dia 2 de janeiro. A íntegra da sessão está disponível no vídeo abaixo.

O presidente do TJMA elencou as principais realizações do Judiciário estadual durante o ano de 2020 que, apesar de marcado pelas dificuldades e ansiedade causadas pela pandemia do novo Coronavirus, resultou em medidas inovadoras no âmbito da Justiça, como a implementação de projetos de tecnologia da informação; Selo Eletrônico; cursos de mestrado e especialização para servidores e magistrados; gestão ambiental e criação do Comitê de Diversidade. 

“Em 2021 teremos a inauguração do Laboratório de Inovação; Centro de Memória e vários aplicativos para melhorar a integração e transparência com a comunidade jurídica”, frisou o desembargador Lourival Serejo, anunciando ainda o projeto de inauguração de usina de energia solar visando à economia de gastos.

O presidente do TJMA ressaltou o papel do Poder Judiciário na defesa das liberdades e direitos fundamentais da sociedade, função que exige a atuação de magistrados qualificados tecnicamente para manejar as ferramentas com uso de inteligência artificial, aliada à “responsabilidade de servir com atenção aos menos favorecidos pelo sistema econômico; preocupados com a proteção do meio ambiente; que eleve a Justiça acima da burocracia e excesso de formalismo e não hesite em tomar medidas contramajoritárias para efetivar direitos fundamentais assegurados pela Constituição”. 

O Poder Judiciário constitui o instrumento concretizador das liberdades civis, franquias constitucionais e direitos fundamentais assegurados pelos tratados e convenções internacionais subscritos pelo Brasil”, frisou Lourival Serejo.

Além dos desembargadores membros da Corte, do vice-presidente, desembargador Jaime Araujo, e do corregedor-geral da Justiça, desembargador Paulo Velten Pereira, a sessão solene de abertura do ano judiciário teve a participação do procurador Rodrigo Maia, representando o governador do Estado Flávio Dino; da procuradora de justiça Lize de Maria Brandão, representando o procurador-geral da Justiça, Eduardo Jorge Hiluy Nicolau; do defensor público Gabriel Furtado; do juiz Holídice Cantanhede, presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA); Bruno Duailibe, representando o prefeito de São Luís Eduardo Braide; e do presidente da OAB/MA, Thiago Diaz.

HOMENAGEM

O Tribunal de Justiça também dedicou uma sessão especial em memória da desembargadora Cleonice Silva Freire, com a apresentação de um vídeo (abaixo) produzido pela Assessoria de Comunicação da Presidência narrando a trajetória profissional da homenageada e com a participação de suas filhas, Poliana, Carolina e Themis Freire. O discurso da homenagem foi feito pela desembargadora Nelma Sarney.

A filha da magistrada Poliana Freire fez a leitura de texto escrito em homenagem à desembargadora, narrando suas trajetórias de vida e profissional e relembrando sua dedicação e empenho ao ofício e aos projetos sociais que implementou, a exemplo da Casa da Criança Menino Jesus e da Fundação da Cidadania e Justiça. “Olhar para os senhores é na verdade enxergar em cada um a nossa mãe, com seu batom vermelho e largo sorriso contagiante”, relembrou.

Representando o Tribunal de Justiça, a desembargadora Nelma Sarney fez um discurso em homenagem à colega, afirmando que sua ausência deixa “uma imensa lacuna e uma saudade permanente nos espaços laborais por onde passou e tudo o que semeou ao longo do exercício da magistratura”. 

Ela relembrou a amizade com a colega tanto no âmbito pessoal quanto profissional, ressaltando sua trajetória no Tribunal de Justiça, onde ingressou no ano de 1981, tendo passado ainda pelas comarcas de Alcântara, Santa Inês e Imperatriz, pela Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral e pela presidência do TJMA. “No curso dessa trajetória chega a São Luís, onde assume a Vara da Infância e da Juventude, trabalho que se tornou o ideal de sua vida”, pontuou.

O desembargador Lourival Serejo informou que proporá a mudança do nome da Fundação da Cidadania e Justiça, para que passe a homenagear a desembargadora Cleonice Freire.

Fonte: Agência TJMA de Notícias

Abrir converva
Olá!
Como posso ajudar?