O CALOTE NOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO E O ROMBO NO FUNDEB EM CURURUPU

|

Na cidade de Cururupu continua a novela do abono salarial aos profissionais da Educação referente à sobra dos 70% do Fundeb de 2021. Alguns vereadores, desde então, juntamente com representantes da categoria dos profissionais da Educação vem buscando formas para o prefeito Aldo Lopes (PSB), faça cumprir a lei e efetue o pagamento da sobra a quem é de direito.

Entretanto, o prefeito Aldo junto ao seu corpo técnico simplesmente verbalizou que não teria condições para efetuar o pagamento do abono aos profissionais porque não existe sobra de recursos, pois já utiliza mais de 70% dos recursos para o pagamento de pessoal.

Com essa resposta os vereadores os Antônio filho (PCdoB), Daniel Louzeiro (PCdoB), Henrique Chaves (PCdoB) e o advogado Dr João Érlon Asevedo Fonseca Júnior, requisitaram em caráter de urgência comprovantes de pagamentos junta a Secretaria de Educação do Município, por meio de Requerimento Legislativo para análise.

De acordo com a lei, 70% dos valores do Fundeb devem ser investidos no pagamento de profissionais da educação básica. Antes esse percentual era de 60%.

Foram disponibilizados arquivos e após uma árdua pesquisa, os vereadores constataram gastos de 74,4% dos recursos recebidos em 2021 para pagamento da folha de funcionários, o que está acima dos 70%.

O município de Cururupu recebeu em 2021 via Fundeb o valor consolidado de R$ 29.797.443,60. Desse total, a quantia destinada ao pagamento de pessoal seria o valor de R$ 20.858.210,52 que correspondem a 70%, entretanto a prefeitura realizou gastos a mais com a folha de pagamento e acabou gastando R$ 22.169.298,03 que corresponde a 74,4% do valor recebido, foram gastos R$ 1.311.087,51 do Fundeb, ou seja 4,4% a mais que a lei permite.

Desse modo, foram encontradas várias irregularidades que levaram os parlamentares a analisarem por diversas vezes para obter a certeza dos fatos caóticos descobertos. Entre os principais estão:

  • Supersalários;
  • Gratificações exorbitantes em desacordo com a legislação que norteia tal pagamento;
  • Funcionários fantasmas;
  • Funcionários que recebem recurso da educação e são cedidos para órgãos que não prestam qualquer serviço referente à educação;
  • Contratados em funções idênticas e que recebem gratificações diferentes etc.
Confira também quando o município recebeu do Fundo de Participação (FPM )

Assim como na matéria que divulgamos em primeira mão e com exclusividade sobre A FARRA DAS DIÁRIAS, que gerou grande repercussão e indignação da população, o rateio do Fundeb para os profissionais da Educação vem gerando grande alvoroço diante das recentes descobertas dos vereadores, onde mostra os favorecimentos de aliados políticos, exploração de funcionários que mesmo exercendo cargos idênticos são preteridos em pagamentos desiguais e muitas outras maracutaias da gestão.

Muitos municípios vem pagando até o 16º salários aos professores, mas essa realidade passou longe do município de Cururupu.

Leia mais notícias em joerdsonrodrigues.com.br siga nossa página no Twitter, Facebook e no Instagram @joerdsonrodrigues. Envie fotos, denúncias e informações ao blog por meio do WhatsApp (98) 93300-0985.

Deixe seu comentário